Snipe São Paulo

Início » #SnipeTALK » Snipe Talk com Iwan Balian

Snipe Talk com Iwan Balian

img_0124A intenção do Snipe Talk é divulgar a classe e também compartilhar conhecimento e experiencias!

Os maiores beneficiados com isso são os velejadores mais novos ou aqueles que estão interessados em adquirir um snipe e entrar para a classe.

Então aqui vai mais um Snipe Talk!!! Dessa vez Iwan Balian!

SnipeTalk: Quantos anos tem e a quantos anos veleja?

Iwan: Tenho 30 anos. Na infância e adolescência velejei de oceano conhecendo bastante do litoral de Ubatuba até ilha grande. De Snipe comecei a velejar em 2008 com 22.

SnipeTalk: A vela é uma herança familiar ou você procurou pelo iatismo sozinho e por que?

Iwan: Quando eu tinha 9 anos meu pai levou a família toda em uma viagem de 15 dias do Saco da Ribeira até a ilha Grande, no veleiro de 32 pés chamado Neblina que pertencia a um amigo dele. Foi o suficiente para eu nunca mais querer parar de velejar.

SnipeTalk: Qual foi seu primeiro barco? Quantos anos tinha quando teve seu primeiro barco? Quantos barcos ja teve? Seu primeiro barco foi um snipe ou foi outro?

Iwan: Meu primeiro barco foi um Optmist de madeira que ainda possuo. Foi aos 10 anos. O meu Snipe é meu segundo barco, só tive 2 até hoje.

SnipeTalk: Como foi sua primeira velejada de snipe?  Qual foi seu maior perrengue e qual foi sua melhor velejada de snipe?

Iwan: Minha primeira velejada de Snipe foi com meu barco, na represa do Broa – São Carlos, em um dia frio de Setembro. Estava muito ansioso e foi uma velejada alucinante cheia de surpresas para um inexperiente que nunca tinha velejado em um Snipe…rs. Logo de cara o burro enroscou na bolina e o barco virou na praia, derrubando minha proeira (mãe) na água. Depois de conseguir sair velejando, o brandal de sotavendo se encontrava  solto causando pânico a bordo, mas no final conseguimos curtir e voltar são e salvo.

Meu maior perrengue, com exceção a primeira saída que descrevi acima, foi em um campeonato sul brasileiro na Guarapiranga em 2010, que fazia muito frio e sem roupa impermeável, totalmente encharcada, minha mãe que estava na proa começou a ter hipotermia e eu tive que subir com o barco, sem carreta, na rampa do YCP e todos ajudaram para leva-la para a sauna se recuperar. Depois desse episódio comprei minha primeira roupa de borracha e pintei o casco do barco na estufa de um amigo.

Tive muitas velejadas boas com planadas sensacionais, mas minha melhor velejada foi em uma regata treino na raia 3 em 2011, em que consegui chegar em primeiro. Uma sensação sem igual!

SnipeTalk: Quais são seus planos para os próximos 10 anos em relação ao snipe? Tem alguma sugestão para a equipe a coordenação da classe?

Iwan: Nos próximos 10 anos espero ter evoluído em relação a tocada do barco, conseguir andar mais na frente e me divertir ao máximo. Espero conseguir correr um campeonato brasileiro também.

A minha sugestão para a coordenação da classe é tentar trazer um campeonato brasileiro para a represa Guarapiranga em breve. 😀

Obrigado pela oportunidade. Valeu! Abraço!
Iwan


1 Comentário

  1. Mario Sacconi disse:

    desastrado é a expressão para os incidentes relatados, mas parabéns assim que se começa!
    tua sorte é que mãe aguenta o tanco…..
    já notei grande progresso na velejada.
    abraço
    Mario Sacconi

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: